Vallourec

Unidade Mineração

Sobre nós

Presente há mais de seis décadas em Minas Gerais, a Vallourec unidade Mineração extrai e beneficia, desde o começo da década de 1980, na Mina Pau Branco, três tipos de minério: hematita, goethita e itabirito. Parte da sua produção é destinada às plantas produtoras de tubos da Vallourec no Brasil e o restante é comercializado no mercado interno.

 

O nosso produto está entre os mais ricos do mundo, devido à localização privilegiada do seu local de extração, o Quadrilátero Ferrífero, no município de Brumadinho, a cerca de 35 quilômetros de Belo Horizonte (MG).

 

A Empresa é destaque no desenvolvimento de pesquisas e de novas soluções para racionalizar o uso dos recursos naturais, garantindo a sustentabilidade. Tal compromisso é evidenciado pelas certificações internacionais recebidas, como as normas ISO 14001 e ISO 45001.

Zero Barragem de Rejeito

A unidade Mineração não utiliza barragem de rejeitos desde 2015, quando a Barragem Cachoeirinha, que atualmente está seca, foi substituída pelo método de empilhamento drenado, como forma de mitigar um dos principais riscos do negócio.

 

Com o uso de equipamentos chamados de “filtros prensa”, os rejeitos gerados no processo são filtrados, drenados e prensados em blocos, que com umidade baixa (entre 15% e 18%) são dispostos a seco em pilhas e revegetadas posteriormente. Além disso, parte desse material pode ser utilizado em novos coprodutos, por exemplo, dando origem a bloquetes intertravados, utilizados em pavimentação.

 

O projeto, que foi pioneiro em todo mundo, tem beneficiado diretamente a sociedade, o meio ambiente e a própria Empresa, pois garante a continuidade operacional e a viabilidade do negócio, alicerçado em um processo altamente sustentável. Os resultados são tão positivos que diversas companhias têm procurado adequar seu processo produtivo com base no modelo da Vallourec, o que faz da Empresa uma referência nesse mercado.

A Vallourec é líder mundial em soluções tubulares premium, atuando principalmente junto aos mercados de energia (óleo e gás, geração de energia). No Brasil, a Vallourec possui oito unidades. Em Minas Gerais, as unidades Barreiro e Jeceaba são focadas na produção de tubos de aço sem costura; a unidade Florestal é responsável pela produção do carvão vegetal que abastece o Alto-Forno das unidades produtoras de tubos; e a unidade Mineração supre as necessidades de abastecimento internas de minério de ferro. 


A Empresa conta, ainda, com uma unidade de Negócios no estado, provedora de serviços administrativos. Com linhas de produção em Minas Gerais e em São Paulo, a Vallourec Tubos para Indústria (VTI) fornece tubos de aço com e sem costura e soluções tubulares para a indústria em geral, especialmente para os mercados automotivo, de energia, máquinas e equipamentos industriais. No Rio de Janeiro, a Vallourec Tubular Solutions Ltda. (VTS) presta serviços especializados para o setor de óleo e gás. E no Espírito Santo fornece serviços de revestimento anticorrosivos.

Estruturas

Santa Bárbara

Cachoeirinha

Dique Lisa

Incidente Dique Lisa

O que aconteceu no Dique Lisa

No dia 8 de janeiro de 2022, devido às fortes chuvas, que foram as mais intensas em Minas Gerais, ao menos nos últimos 56 anos, houve um deslizamento de taludes de parte da Pilha Cachoeirinha. Esse material caiu dentro do Dique Lisa, que por sua vez se encontrava cheio de água, provocando o transbordamento do dique até alcançar as pistas da BR-040.

Ações emergenciais

Desde o transbordamento, mais de 290 ações emergenciais já foram executadas ou estão em andamento para a redução dos impactos ambientais e recuperação das áreas afetadas.

 

Imediatamente após o incidente, os órgãos governamentais competentes foram formalmente comunicados e acionados e todas as medidas para garantir a segurança do local, das pessoas, da fauna e da flora foram tomadas.

 

A Vallourec empreendeu todos os esforços para garantir a reabertura segura da BR-040. Foram feitas a limpeza do local, a instalação de dois postos de monitoramento na rodovia e a análise de estabilidade do dique.

 

Por conta do transbordamento, um motorista chegou a ser atendido em hospital e foi liberado no mesmo dia.  Foi feita a remoção e contínua assistência aos moradores da única casa localizada na mancha de inundação.

 

Por medida de segurança, a Vallourec também providenciou, em conjunto com especialistas em fauna silvestre, a remoção de cerca de 600 animais do Centro de Reabilitação de Animais Silvestres (CRAS), do Ibama, que era mantido próximo da área afetada. Esses animais, entre mamíferos, aves e quelônios, foram transferidos para nove entidades especializadas e estão sob cuidados e tratamento de veterinários, biólogos e técnicos especializados.

O que a Vallourec está fazendo

  • A pilha Cachoeirinha está sendo monitorada por radares de forma contínua, 24 horas por dia, e o Dique Lisa encontra-se íntegro. Em caso de alteração no parâmetro de referência de movimentações do solo, são disparados alarmes para a sala de controle e para os celulares dos responsáveis pela geotecnia e segurança da Mina.
  • Já foi realizada a limpeza do canal extravasor do Dique Lisa e construído um canal emergencial no outro lado (esquerdo) para aumentar a segurança. Além disso, está sendo feita a limpeza do Dique
  • A estabilidade da pilha de rejeitos será atestada por estudos feitos por empresas especializadas independentes contratadas que já estão trabalhando.
  • A Vallourec está empenhada em apurar os danos ambientais causados pelo transbordamento do Dique Lisa e empreender todas as ações de reparação e compensação ambiental a serem definidas.
  • Em 27 de janeiro a Vallourec assinou um acordo com o Ministério Público sobre os impactos provocados pelo transbordamento do Dique Lisa. O acordo preliminar contempla a execução de ações emergenciais, muitas delas já em andamento, o compromisso com a recuperação ambiental da área afetada, entre outras medidas.

  • No dia 3/5/22, a Mina Pau Branco foi parcialmente desinterditada pela Agência Nacional de Mineração (ANM). Com isso, foi autorizada a retomada, também parcial, das atividades na unidade Mineração da Vallourec. Importante destacar que essa retomada ocorrerá gradativamente, a partir da data de desinterdição, seguindo os mais rigorosos padrões técnicos e de segurança. As estruturas Dique Lisa e Pilha Cachoeirinha continuam interditadas até que os novos laudos de estabilidade sejam concluídos e que a desinterdição seja dada pelos órgãos estaduais competentes e a ANM. A execução das ações ajustadas com as autoridades continua com todo o rigor e seriedade.

Licenciamentos

A Vallourec possui todas as devidas licenças para a realização das suas atividades e operação de suas estruturas físicas e industriais de acordo com todas as regulações e normatizações aplicáveis.

 

O processo de licenciamento ambiental de ampliação da Pilha Cachoeirinha, aprovado pela Câmara de Atividades Minerárias (CMI) do Conselho Estadual de Política Ambiental/MG (COPAM), durou quatro anos, passou por todos os trâmites e etapas legais do processo de licenciamento. A modalidade de licenciamento concomitante para ampliação (Licença Prévia, de Instalação e de Operação) está prevista na legislação ambiental do estado de Minas Gerais.

PAEBM

O que é?

O Plano de Ação de Emergência para Barragens de Mineração (PAEBM) é um documento técnico e de fácil entendimento elaborado pelo empreendedor, no qual está identificado as situações de emergência em potencial da barragem, estabelecido as ações a serem executadas nestes casos e definidos os agentes internos e externos a serem notificados, com o objetivo de minimizar danos materiais e corporais.

Objetivos

  •  Orientar quanto à identificação de possíveis situações de emergência, que possam vir a comprometer a segurança da barragem;
  •  Orientar quanto ao procedimento de notificação no fluxograma de notificação e comunicação;
  • Delegar os grupos quanto às ações preventivas e corretivas em situações de emergência.

Conteúdo

  • Apresentação e objetivo do PAEBM;
  • Identificação das entidades constantes no fluxo de notificação;
  • Descrição geral da barragem e estruturas associadas;
  • Ações esperadas para cada nível de emergência;
  • Descrição dos procedimentos corretivos e preventivos;
  • Definição dos recursos materiais e logísticos disponíveis para uso em situação de emergência;
  • Procedimentos de notificação (fluxograma de notificação);
  • Plano de Evacuação (contendo as orientações e procedimentos a serem seguidos em caso de emergência);
  • Dam Break (Estudo que visa mapear e delimitar a mancha de inundação com indicação da ZAS e ZSS );
  • Responsabilidades do empreendedor, coordenador do PAEBM, Equipe Técnica e Defesa Civil;
  • Registros de treinamentos do PAEBM;
  • Relação das autoridades que receberam o PAEBM com os respectivos protocolos.

ZAS e ZSS

  • Zona de Autossalvamento – ZAS: Região a jusante da barragem onde se considera não haver tempo suficiente para uma intervenção das autoridades competentes em caso de acidente, cabendo ao empreendedor da barragem alertar a população potencialmente afetada nessa região.
  • Zona de Salvamento Secundária – ZSS: Região que se encontra no Mapa de Inundação após a delimitação da ZAS.